domingo, 19 de fevereiro de 2012

ERA UMA VEZ...UM CARNAVAL


Ele saía todos os anos numa das alas de sua escola de samba do coração. Era muito dedicado. Frequentar o barracão da escola de samba, era como que um ato religioso para ele. Colaborava com sua escola, ajudava na confecção de apetrechos e era sempre muito prestativo com os colegas. Era um homem muito sincero, espontâneo, de bom coração e sua maior felicidade era o dia do desfile. Para ele, era o dia que mais esperava todos os anos. Mas, foi exatamente numa noite de carnaval, que algo inesperado lhe aconteceu. Ele já estava vestido com sua fantasia quando apressadamente pegou seu carro na garagem, despediu-se da esposa e dos filhos, que preferiam assistir ao evento pela televisão. Quando dobrava a esquina, envolveu-se num acidente de carro, depois de avançar o sinal. Foi um acidente sem maior gravidade. No outro carro envolvido, desceu um homem de terno e gravata, parecia um pastor. O homem, com trajes contrastantes percebeu quando aquele homem se aproximava de seu carro. 
Para muitos a alegria é apenas fantasia. 

Ele bateu o peito ao volante; estava sentindo dor, quando aquele homem chegou até à janela de seu carro para dizer alguma coisa. O olhar dos dois se cruzou. Eles se reconheceram. Foram colegas de escola no curso ginasial. Foi uma surpresa para ambos. O ex-colega, agora pastor, demonstrou felicidade, relembrando que o amigo seguiu o caminho que todos já imaginavam. Desde os tempos de escola, não escondia sua paixão pelo carnaval, enquanto o folião perguntou-lhe se ainda era crente. E, falando sobre sua vida, disse que havia se formado pastor num curso teológico e que, naquele momento, dirigia-se à sua igreja, quando o acidente ocorreu. O pastor tratou de buscar socorro para seu amigo, que depois de ser avaliado pelo médico de um posto de saúde, foi liberado. Ele, com aquela fantasia, acompanhado de um pastor - mas foi naqueles poucos momentos que passaram juntos, que trocaram telefones e, o pastor o chamou para almoçar em sua casa no próximo fim de semana.

Foi nesse reencontro que os dois velhos amigos partilharam de suas experiências. O folião foi convidado a ir à igreja e, num momento especial de pregação sobre a Salvação em Cristo, ele foi tocado. Na verdade, aparentemente este homem mostrava uma alegria que no fundo não existia. O carnaval era sua grande paixão, mas não preenchia o seu coração. Ao acabar os desfiles ele caia em profunda depressão; bebia para tentar prolongar o prazer que sentia nos momentos em que brilhava na avenida. A pregação daquela noite o levou a refletir o que nunca tinha pensado: o pastor dizia que "a vida não se resume apenas em momentos. Os momentos passam; a euforia acaba; é como se bebêssemos uma água que não sacia a sede; o mesmo que comêssemos uma comida que não sacia a fome. E, do nosso jeito, buscamos um motivo para viver. Mas o grande motivo do viver é o que permanece conosco, mesmo depois do apagar das luzes quando uma festa se acaba. É algo maravilhoso e inexplicável que permanece no coração, trazendo a sensação de uma alegria que não depende apenas das coisas que estão do lado de fora, mas o que vem de Deus e enche a nossa vida".
Jesus age de maneira surpreendente
para alcançar
pessoas
Aquele homem prestava atenção a cada palavra que ouvia, como se estivesse aproveitando e assimilando cada frase, cada expressão. E o pastor dizia finalmente: "Jesus veio a este mundo para que todos tenhamos vida em abundância. Vida feliz; vida com motivo real; uma vida que não se apaga junto com o apagar das luzes deste mundo".  

Ao final do culto, o aquele folião desejou conhecer mais sobre a palavra que o pastor pregou naquela noite. Ele entendeu que não foram palavras vazias; sentiu que precisava encontrar a motivação da qual o pastor falava. Foi assim, que a partir daquele noite, em seu coração, decidiu levar uma vida diferente. Tornou-se um cristão; abandonou sua grande paixão; deixou para trás uma história de 20 anos com a folia, para seguir o caminho da eternidade.

De várias maneiras, Deus nos alcança. Há os que são alcançados de forma inusitada; até mesmo em lugares ou em situações que menos imaginamos. Isso é prova segura de que Deus continua a se importar conosco, independentemente das circunstâncias. O plano de Deus é único para todos, mas Ele age de maneira individualizada para alcançar aquele a quem ama e deseja proteger dos enganos deste mundo.