segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

O MENINO POBRE QUE FICOU RICO DUAS VEZES

Ele tinha todos os motivos e circunstâncias para desistir de seus sonhos. Era o filho do meio, de dois irmãos. Criado na roça, com as dificuldades comuns de uma vida no campo relacionado aos estudos, uma boa escola e algo que o motivasse, ele vencia os obstáculos a cada dia. As dificuldades financeiras para manter os filhos na escola, levaram o  pai a ensinar algum ofício para que  as crianças conseguissem ter um futuro melhor.

A vontade de vencer supera todos os desafios
Um deles vendia verduras, cultivada na horta da família. Outro aprendeu a fazer balaios de bambu para vender na cidade. Isso ajudava a custear as passagens de ônibus até a escola, comprar cadernos e lápis, e assim tornava a vida dos pais um pouco mais leve. A distância para a escola levava uns 20 minutos de ônibus. Mas quando chovia havia dificuldade,  pois a estrada  de chão batido, impedia a passagem dos ônibus e, a saída dele,  era ir á pé para a escola ou ficar esperando uma carona de algum carro mais potente que passava pelo local. Certa vez, foi para a escola na caçapa de um camburão da polícia, único lugar que estava vago na viatura. Mas todo o sacrifício tinha um foco. Seus pais queriam que ele estudasse para ser doutor. Seus pais desejavam que a vida   no campo fosse apenas um período na vida dos filhos e para passar momentos de férias e descanso. Para eles, lá não havia frente de trabalho e condições para tornarem-se pessoas realizadas na vida pessoal e profissional.  

Foram idas e vindas de casa para a escola, da escola para casa, até que conseguiu finalmente um emprego e passou a morar numa república de estudantes perto da faculdade, onde dividia as despesas com outros colegas.
Vencer, é desafio que todos podem superar.

Começou a dar aulas num cursinho, e foi com uma de suas alunas que conheceu o cristianismo. Ficou tão impressionado com seu testemunho, que desejou conhecer a igreja dela. Tudo o que ouvia na igreja era grande novidade para ele. Aprendeu que Deus criou um dia para sua adoração; aprendeu que a graça de Cristo é que salva, não as penitências e esforço pessoal. Aprendeu que a saúde depende da obediência aos princípios determinados pelo Criador, em todos os aspectos, no respeito ao corpo, que aprendeu ser o templo do Espírito Santo.

 Sua vida teve uma reviravolta. Conheceu a mensagem de salvação, e pessoalmente empregou todos os seus esforços com muita garra para vencer na vida acadêmica e profissional, e venceu. Depois de terminar o curso superior, tornou-se professor  de uma importante Universidade Estadual. E é nesse ambiente, que hoje, em toda oportunidade que tem, testemunha de sua fé aos seus alunos. O que conheceu por meio de uma de suas alunas quando ainda lecionava em cursinhos, partilha atualmente com aqueles cuja responsabilidade é ensinar temas acadêmicos.

 A mudança na vida pode acontecer de maneira gradual e constante, não importam as dificuldades ou aparentes limitações. É no passo a passo, fazendo o que precisa ser feito, sem negligenciar pontos importantes. É por meio da percepção e do esvaziamento do nosso próprio eu, dando lugar ao O Grande Eu sou, é que finalmente todas as lacunas da vida são preenchidas. A plenitude de vida não está nas realizações isoladas, mas quando se descobre a essência do viver, que pode estar tão perto de nós, nas coisas mais simples que podemos julgar.

Ex-ministra Marina Silva. Exemplo de superação, alfabetizada
aos 13 anos - morando em aldeia extrativista no norte
do país.
Podemos encontrar várias explicações para justificar a estagnação de alguns. Seja em que área da vida, a superação ocorre quando existe um alvo a alcançar, um desafio a vencer. Certamente, isso não torna alguém (como ser humano) melhor que o outro. Trata-se de realização pessoal e aprendizagem por meio das experiências vividas. Muitos deixam para trás a característica de " caroneiros" da vida, mas passamos a visualizar novos horizontes, conscientes da nossa capacidade exercitada em meio aos transtornos do caminho.