segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

O ALCOÓLATRA QUE NUNCA BEBEU


Ele sempre se declarou alcoólatra. Mas curiosamente, ninguém jamais o viu tomar um gole sequer de bebida alcoólica.

Foi numa festividade de formatura da faculdade de ortopedia, que  quase  foi vencido pela tentação. A pressão era muita, justificada pelos amigos por ser um momento de confraternização e festa naquela etapa tão  especial na vida deles.


O uso da droga é tolerado sob pretexto cultural

Todos estavam alí para comemorar. Os amigos pressionavam. Mais uma vez, ele foi firme, ao dizer não. Ele tentava explicar-se dizendo que não bebia, exatamente  porque era alcoólatra. Era um momento de festa, mas ele acabou tendo que explicar seus motivos. Alí, entre os colegas de faculdade,  relembrou a dura e triste história de seu pai. Um homem que conseguiu realizações na vida, mas aos poucos, foi vencido pelo álcool. O alcoolismo destruiu sua família, quando seus pais se separaram depois de anos de conflitos no casamento. Seus irmãos foram estudar em internatos e tiveram que trabalhar duro para pagar os estudos. Nem todos conseguiram se realizar. Seus outros dois irmãos mais velhos, foram vencidos pelo álcool. Um deles, teve doença grave que o levou à morte.

Seus colegas de turma ouviam surpresos o discurso dele, e continuavam como que petrificados ao ouvir a história do amigo. E ele reafirmava que não bebia por ser  alcoólatra, porque seu pai era, e seus dois irmãos também eram. Um dos colegas, interrompendo a explicação, colocava em dúvida o que ele dizia. Não aceitava o fato de ele se declarar alcoólatra sem nunca ter experimentado bebida alcoólica.

Há quem equivocadamente busca na bebida
" afogar" seus dramas pessoais.
Mas era exatamente este o motivo. Ele acreditava que se bebesse, poderia perder o controle, pois para ele, só era necessário um estímulo para desenvolver a doença. Este estímulo seria o primeiro gole. Por isso, decidiu jamais levar um copo de bebida alcoólica à boca, nenhuma gota sequer.


Todo vício ou doença genética precisa apenas de um estímulo para se desenvolver. As vezes o histórico familiar torna-se sinal de alerta. Prestar atenção nesses sinais, pode ajudar a construir um novo rumo para os descendentes. Nem sempre conseguimos lutar contra a nossa natureza, mas somos seres com poder de escolha e decisão, sobre o que podemos controlar. O exemplo desse jovem, recém formado em ortopedia, mostra o que a opinião é capaz de fazer. Mas, o alcoólatra inveterado, precisa muito mais que opinião e reconhecimento de sua doença para vencer. Ele precisa de ajuda e apoio, principalmente dos familiares.

Opinião firme, pode afugentar jovens dos
ambientes propícios ao uso do àlcool e outras
drogas
Não importa o que seja, se maldição hereditária ou o que se pode classificar, essa corrente se quebra quando decidimos fazer diferente. Este é o poder que Deus deu a cada um de nós, para que com a nossa liberdade de escolha, construamos uma vida melhor agora para o futuro.







Pouco antes de morrer com doença decorrente do uso de bebida alcoólica, o ex-jogador Sócrates declarou numa entrevista televisiva: "Como médico, eu sempre soube que o álcool fazia mal, mas nunca pensei que fosse acontecer comigo".


O futebol, esporte que lembra saúde, é patrocinado
por cervejarias.
Atividade usada como pretexto para tirar os jovens
do mundo das drogas, é patrocinado por droga.
 Em nosso país, ainda não há proibição da propaganda de bebidas alcoólicas. Mesmo sendo uma droga tolerada socialmente, as regras que normatizam seu uso, nem sempre são respeitadas, a exemplo da lei seca criada para diminuir acidentes de trânsito. Dificilmente um vício ou dependência pode ser controlado com orientação. Os alertas servem mais como uma "satisfação" do Ministério da Saúde, para a população. São recursos gastos com peças de conscientização que não surtem o efeito desejado.